Gustavo Fruet toma posse para o 4º mandato de deputado federal

No Plenário da Câmara, durante a cerimônia de posse
Gustavo no plenário da Câmara, durante a cerimônia de posse

Depois de oito anos longe da Câmara Federal, Gustavo Fruet tomou posse, nesta sexta-feira (1º), para cumprir o quarto mandato de deputado, na Legislatura (2019-2022).

Antes de ser prefeito de Curitiba (2013-2016), o curitibano havia cumprido três mandatos consecutivos em Brasília entre 1998 e 2010.

“Certamente será um dos períodos mais desafiadores da história política brasileira. Veremos se serão novos tempos ou tempos retrógrados. Retorno animado e determinado a cumprir as obrigações do Legislativo, entre elas a de fiscalizar o Executivo”, comenta.

Fruet planeja utilizar a experiência adquirida no comando da Prefeitura de Curitiba para se aprofundar em pautas de interesses dos Municípios. “Antes mesmo de ser prefeito já tinha convicção da necessidade de revisão do Pacto Federativo. Administrar a Capital do Paraná em meio a maior crise econômica da história do país só reforçou essa convicção. Cada vez mais responsabilidades estão sendo repassadas aos Municípios sem incremento de receitas. A equação não fecha!”, afirma o deputado.

Ciência, tecnologia e inovação são outros temas que devem estar sempre presentes no mandato de Gustavo Fruet. “Já formalizei o pedido para ser membro da comissão de Ciência e Tecnologia. Durante a passagem pela Prefeitura, avançamos muito no conceito de smartcities, com eletromobilidade, aplicativos, abertura de dados, convênios com Universidades do Brasil e do exterior”, explica.

CPI das Barragens

Após tomar posse, Gustavo Fruet já iniciou a coleta de assinaturas para instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as causas que levaram ao rompimento da barragem de Brumadinho e a possibilidade de novos desastres.

De acordo o regimento da Câmara, para que o pedido de CPI seja protocolado na Mesa da Casa são necessárias assinaturas de um terço dos 513 deputados.

“A princípio, a questão não é de falta de legislação, mas de estrutura e pessoal desde o licenciamento até a fiscalização. No caso de Brumadinho, a barragem original tinha 18 metros e, no momento da tragédia, já estava com 85 metros. Tem plano de emergência? Se sim, porque não funcionou?”, questiona.

One thought on “Gustavo Fruet toma posse para o 4º mandato de deputado federal

  1. Acho muito oportuna esta preocupação do deputado em relação a esta catástrofe, principalmente porque tivemos muitas vitimas e as justificativas de todos, Vale, Governos, Prefeituras e pessoas diretamente envolvidas procuram justificar apenas os fatos que culminaram com o rompimento da barragem. No meu entender justifico a necessidade de incentivar a mineração principalmente porque é uma atividade de segurança nacional e que traz ao Brasil muitas divisas pois é um grande exportador do minério de ferro. Mas o custo humano é alto e este não pode ser recuperado.
    Minha sugestão é procurar algum meio de aproveitar os rejeitos da mineração para outra atividade como o aproveitamento para a construção civil ou para pavimentação de estradas. Uma pesquisa neste sentido seria mais interessante do que preservar a explosão de uma bomba que não se pode impedir, ao que tudo indica pela razões explicadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *