Fruet entra com medida para barrar ato do governo que libera supersalários

dinheiro real

 

 

 

 

 

 

 

O deputado federal Gustavo Fruet (PDT-PR) entrou com um Projeto de Decreto Legislativo (PDL 185/2021) para suspender os efeitos da portaria do governo Bolsonaro que libera os aposentados com cargos em comissão na administração pública da obrigação de cumprir o teto salarial de R$ 39,2 mil mensais.

A medida, que tem impacto financeiro estimado superior a R$ 181 milhões, beneficia o próprio presidente da República, o vice-presidente, Hamilton Mourão, além de ministros militares, como os generais Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil) e Braga Netto (Defesa).

Fruet também está entrando com pedido de informações para saber do governo quantos servidores da administração federal direta e indireta ganham acima do teto constitucional.

O deputado argumenta que é incoerente o governo falar em reforma administrativa para reduzir gastos e ao mesmo tempo editar uma portaria que libera supersalários. “Perderam o juízo? É o “Baile da Ilha Fiscal” do século XXI. Como se R$ 39 mil mensais não fosse um excelente salário com férias e 13º garantidos”, comenta Fruet.

“É inacreditável que o governo que se elegeu com a promessa de acabar com mordomias tome uma iniciativa dessas. Completamente incompatível com a realidade do país, que hoje tem números alarmantes de desemprego e avanço da miséria”, finaliza o deputado.

Foto: Makoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *